iPad mini, o iPad definitivo

Finalmente conheci o iPad mini e posso dizer que este é o formato ideal para o iPad. Imagino que a Apple não começou com este formato por duas razões: custo da tecnologia para produção e a confusão que poderia causar com o iPhone.

Vou explicar a segunda razão. Se lembrarem bem, quando o iPad original foi lançado, de todos os comentários, vi várias pessoas falando que o aparelho não passava de um iPhonão ou iPhone com a tela grande. Hoje sabemos que o design dos aparelhos é da mesma familia, mas são dois aparelhos com propostas diferentes. Imaginem se a Apple tivesse lançado o iPad no formato do mini. A confusão seria ainda maior e, talvez, as pessoas não embarcariam numa compra do iPad mini por achar que o iPhone fosse (e é) mais portátil.

Ainda, lembrem-se que o iPhone serviu para educar as pessoas a usarem um aparelho cujo principal input é com os dedos. O iPad original já foi lançado com o ar familiar, tanto que foi muito bem aceito e a tal ponto referenciado, ainda no começo, como um iPhone grande. De toda forma, a diferença do tamanho dos displays era muito significativa, o que facilitou a vida da Apple para vender o aparelho como uma proposta inovadora.

Quanto à primeira razão, o custo para miniaturizar um iPad deveria ser proibitivo para um lançamento ainda em 2010. Ainda que o iPad mini não seja o mais barato entre os tablets sub-10″, certamente em 2010 o preço seria estratosférico ainda para os padrões premiums da Apple.

Review mini

Pros: Muito portátil, incrivelmente leve e realmente dá para manusear com uma das mãos. Todos os apps para iPad estão prontos para o mini, o que deixa o aparelho muito robusto frente à quantidade obscena de apps. E, finalemente, a versão em preto (ou slate) é linda.

Cons: Preço um pouco salgado, especialmente, por não ter um retina display. Ah, o o retina display faz falta, para quem já está acostumado com o iPhone 4, 4S e 5 (principalmente este) e, claro, com os iPad 3 e 4 (gerações).

No primeiro instante ao usar o iPad mini é nítido que este é o formato ideal para ter uma excelente experiência de tablet. Quase não dá para sentir o peso, cabe direitinho na mão, o que o torna excepcional para leitura de livros, revistas, comics, apps de leitor de feeds. O iOS 6 melhorou a percepção de toque involuntário da tela (ou quando os dedos apenas repousam na tela), o que elimina a necessidade de uma borda grande.

Falando por aqui não dá para fazer a justiça que o iPad mini merece. É preciso usar e entender como este tablet é extremamente bem feito. Impressiona até quem tem ódio pela maçã e prefere os inventos (risos) da Sammy.

Para quem não tem iPad, sugiro comprar o mini. Para quem tem o iPad original ou o 2, sugiro comprar o mini. E, para quem tem o iPad 3 ou 4, só vale a comprar se o trade off portabilidade x display pesar para a leveza e facilidade de carregar o aparelho, do contrário esperaria até fevereiro/março de 2013.

Rolam boatos que a Apple vai passar a fazer refresh dos iPods, iPhones e iPads a cada 6 meses, mas isso é post para um outro momento.

Ω

Fala aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s